Eu o via por um monóculo

Dentro da caixa estava

Guardado

Porcelana sobre uma estante

O amor o liberou

O amor o libertou

Ele caminhou

Assistiu seus próprios passos

O amor não acusa

Não deleta

Não julga

Não condena

Não expõe

Mas o amor acolhe

Afaga

E consola

Ele escreveu sua história

Foi no tempo da padiola

J. Nobre

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s