As vezes acontecem coisas cuja as quais não conseguimos entender, perdemos tudo, mudamos de cidade (algumas diversas vezes), mudamos de profissão, tentamos alguns tipos de negócios, conhecemos alguém especial, nos apaixonamos, construímos planos, adquirimos novos sonhos, metas, então, tudo muda e você volta a sonhar outra vez, a ter vontade de realizar muitas coisas…mas, sem Deus, tudo isso é nada!
E quando isso acontece, há um motivo, nada é por acaso. Há propósito em todas as coisas, sempre há uma permissão, não que seja uma vontade de Deus, pois nossa natureza por si só é desobediente, tende a captar coisas como se fossem sinais, e não os são. O que é para ser, simplesmente é, ou volta a ser, o que é  duradouro é eterno. Enquanto algumas pessoas são respectivamente felizes em seus destinos, outras lamentam uma vida por não ter ouvido a razão, muito menos o coração.
Tudo era para ser? Talvez nem tudo, mas nos agarramos a isso como uma regra imprescindível.
Nem tudo era para ser, mas houve uma permissão. Temos o direito de escolha, livre arbítrio, não cabe ao destino dizer isso ou aquilo, cabe a nós em quaisquer âmbito da vida, fazer nossas próprias escolhas. Tendo em vista que com fé tudo é possível.
Sejamos gratos com o que temos, hoje! Sejamos fiéis ao que é provedor de todas as conquistas, pois, a fidelidade é a raiz da gratidão. E o meu Provedor é Jesus!
Nada é por acaso, para aquele que acredita e confia em Deus, e o vê em todas as coisas e crê que todas as coisas cooperam para o bem dos que buscam a Deus.

Este é um texto que Deus colocou trouxe ao meu coração, já tem várias semanas, mas, estava ali esquecido, e hoje, me veio novamente a lembrança dele, talvez ele sirva para você que está lendo, agora. Pense nisso, pare de se apegar a coisas superficiais, coisas que não agregam absolutamente nada em sua vida. Deus, te ouve, Ele sabe e conhece cada dificuldade que você passa ou passou, Ele está com você, mas você insiste em buscar em coisas, que não ouvem, não veem, não escutam, e muito menos podem tocar.

Deus não precisa de pessoas alienadas, caso contrário não teria dado a elas o livre arbítrio, Ele precisa de gente que queira ir além do intelecto superficial humano, capazes de adquirir sabedoria espiritual, que queira discernimento das coisas. Ele não precisa de árvores plantadas ao vento, esperando a plenitude em sua morbidade. Alguém que seja capaz de dizer; eis-me aqui.
Alguém que queira ir à luta, mas que tenha consciência de que não é pela força, pela própria bondade, caridade, mas pela ajuda do Senhor que se vencem todas as batalhas. Só Ele é que é capaz de mudar as circunstâncias da tua vida. Enquanto você passar a vida inteira aí, se reclamando, remoendo o seu passado, vitimizando-se do que te fizeram, não liberar o perdão e se perdoar, vai ficar difícil. Deus sabe o que te fizeram, não precisa você ficar resmungando a todo o tempo, principalmente para o teu pensamento, que já está cansado de ouvir esta mesma história há anos.
Mudança de vida, inicia-se quando deixamos o passado, e nos firmamos no presente. Mas, não são as pessoas importantes de nossas vidas que Ele quer que deixemos para trás, mas as coisas que estas nos fizeram, isso é perdoar. E também, é uma escolha sua. Perdoar, não é conviver debaixo do mesmo teto, na mesma cama, comer no mesmo prato, mas é poder lembrar daquela pessoa, e ter por ela o mesmo sentimento que você tem por si mesmo. Sabe aquilo que dizem, não queira para o outro o que você não quer para si? Isso também é um sinal de perdão.
Um grande passo para perdoar, tornando-se leve, deixando esse fardo na estrada é; você primeiro ter a consciência de quem errou. Um exemplo seria:
Passo 1: ele/ela ou eu ou os dois
Passo 2: ter em mente de que se eu tomei consciência disso, é um grande avanço.
Passo 3: nada me impede de pedir ou liberar perdão
Passo 4: Eu quero é ser feliz nem que para isso eu tenha que perdoar
Passo 5: se esta pessoa está nas minhas orações, eu já perdoei

Não é fácil, se caso fosse, não seria uma das coisas mais difíceis da terra, a causa de muitas guerras, mortes, fome, dentre tantas outros efeitos, é a falta de perdão.

J. Nobre