Quando eu tinha 15 anos, estava ajudando a minha avó com o comércio, era por volta das 11h da manhã, quando de repente, me veio um sono e pedi para ela me deixar ir descansar no quarto. Lembro-me que ela disse: mas porquê você está com sono? Fique aqui para me ajudar com os clientes. Então fui ao quarto e só queria reclinar a minha cabeça e fechar os meus olhos, até deixei uma das pernas próximas ao chão.

Só que, ao fechar os olhos, eles voltaram a se abrir e eu vi um anjo em pé na minha lateral, ele era alto, tinha duas asas grandes e estavam fechadas, eu olhava para ele mas, só via os seus lábios que não se moviam ao falar, ele me disse: [o meu nome] Deus mandou te buscar e te levar ao céu, pois Ele quer te dizer algo. Ele se pôs em minha frente e em um piscar de olhos, ao sair a minha visão se abriu e vi um lugar muito bonito, todo branco o chão parecia que tinha fumaça branca, e o anjo se encaixou em uma fileira de anjos, do lado direito, também havia uma fileira, todos eles de vestes brancas, mas eu não conseguia ver os seus rostos, olhava mas não via, para não recordar. Era infinita a quantidade de anjos, quanto mais eu via, mais eu via. Eles tinham instrumentos ( que hoje eu sei que são trombetas ), tocaram e como se o céu estremecesse, o anjo que me levou apontou para o templo que estava atrás de mim, eu me virei e vi este templo com duas grandes colunas e uma cortina branca, na parte superior havia escrito em um idioma que nunca vi, mas quando li, e entendi; G. Judeus.

Então, dois homens saíram detrás do templo, suas vestes eram muito brancas e eu olhava para eles e via suas faces, mas não via para não recordar. Eles apontaram para o templo, eram grandes como os anjos. Eram distintos, no mesmo instante eu reconheci um ser Jesus e, o outro, Deus, pois, até então, sempre achei que eles eram a mesma pessoa. Lembro que fiquei admirada em ver que eram parecidos, mas distintos, como pai e filho. Então, um deles, enviou para mim um pergaminho que se desenrolou na minha frente, nele estava escrito uma grande revelação, de que não há reencarnações ( como está escrito em Hebreus capítulo 9, versículo 23 a 28 ), pois eu aguardava a volta de alguém que estimava muito e que havia morrido, eu estava sofrendo muito e, a minha família também, a outra coisa foi uma profecia para a minha vida ( que se cumpriu, exatamente como estava escrito ).

Depois disso, o anjo se posicionou rapidamente em minha frente, em um piscar de olhos me vi no quanto, e me disse: escreva tudo para não esquecer. Quando abri os olhos, saí correndo, peguei um pedaço de papel de embrulho e uma caneta e comecei a escrever, minha avó perguntou: porque está tão agitada? Não a deixei concluir mais nada e só escrevi. Ao terminar, perguntei a ela: Se eu lhe contar algo, a senhora acredita em mim? Ela me pediu para contar. Quando contei, os olhos da minha avó estavam arregalados, e sua boca aberta e disse: sim, minha filha, eu acredito em você. E continuou me olhando, como se realmente tivesse ouvido ou visto algo.

Depois que isso aconteceu comigo, algo em mim mudou, eu comecei a ter sonhos e visões e, já não sonhava mais com coisas comuns, só com as coisas do céu. Sofria muito porque as pessoas me achavam estranha, algumas acreditavam e outras duvidavam. Mas, a verdade que tudo que me era revelado, acontecia. Eu não tinha sabedoria para decifrar os meus sonhos, para poder orar ou acautelar as pessoas do que ia acontecer, então, eu chorava e dizia: não quero mais sonhar estas coisas, meu Deus, pois, eu não as entendo e sofro por não poder ajudar, falar, antes que aconteça. Mas, esse meu pedido de renuncia, foram muitos anos após, um dia um pastor, chegou ao restaurante da minha mãe, com sua esposa para jantar, e cheguei para passar uns dias com minha família, exatamente naquela noite. Entrei os cumprimentei, e fui para casa, ao retornar ao restaurante, ele me disse: porque recusa os sonhos que Deus te dá? Lembro-me que fiquei furiosa pensando que tinha sido a minha mãe, quem havia contado, mas não foi. Ele me disse mais coisas proféticas .

Depois desse sonho, que podemos chamar de arrebatamento, eu consegui viver em paz, parar de buscar os mortos, pois, eles não ouvem e nem veem, mas dormem ( I Tessalonicenses capítulo 4, versículo 13 a 18 ).

Então, resolvi me reconciliar com Deus, e pedi para Ele me dar os sonhos de volta, pois eu queria fazer a vontade dEle, e assim foi. Sou uma pessoa privilegiada de ter os sonhos que Deus me dá, também me deu sabedoria para decifra-los.

Muitas vezes, nós relutamos contra o chamado de Deus, com aquilo que Ele tem para nós, o seu propósito. Todos nós temos um chamado, seja pregando em uma congregação, seja ministrando a palavra em nossos lares, pois o mais difícil não é pregar para os que estão no mundo, mas para os de dentro de nossa própria casa. Mas, nada é impossível para aquele que crê.

Que a paz do Senhor Jesus esteja conosco nesta batalha que estamos enfrentando, que o seu sangue nos proteja desse vírus que se alastra a cada dia, que Ele nos encontre e nos revele o seu propósito, para que não mais se tenha dúvidas de que a sua vinda se aproxima. Glória a Deus. Aleluia.

J. Nobre

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s