Ao toque desta melodia
Me recordo daquele dia
Estava ele sentado à porta
Humanamente desprezado
Seus olhos navegavam no tempo
Um pedido tão simples
Completamente cheio de fé
Sua casca estava deteriorada
Seu tronco desfalecido
Sua folhagem perdera a cor
Seus galhos machucados
Suas raízes intactas
Enquanto o vento silenciava
A sua alma falava
Alma que sonha e anseia
Alma sofrida
Ele deixara de herança seus ensinamentos
Daquele que é maior que a morte
Eu vi a sua alma
Ela brilhava
Eu pude ver
Ele mudou-se
Pois o vento voltou a soprar
Peregrino
Continua a salvar almas
Rumo à vida eterna
É o seu caminho

J. Nobre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s